Caio Fernando de Abreu disse que existem momentos em nossas vidas em que parece que a dor não vai passar. Que dói tanto que parece que vamos explodir. E nossa vontade é de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar. Que a dor é tão malvada que parece estar sambando sobre nosso coração com salto agulha.

Muitos desses momentos nascem das decisões tomadas por nosso coração, que insiste em descartar o óbvio, que teima com a razão e acaba chorando as desilusões que ele mesmo criou. E sim, a dor provocada pode alcançar proporções indesejadas e muito dolorosas.

Sempre acreditei nos números e nas equações. Mas, acabei descobrindo que a lógica de tudo está mesmo no que sentimos, por sermos totalmente guiados por nossas emoções por mais que neguemos ou que nos arrependamos das atitudes envoltas por sentimentos.

A razão está no que se sente. Sei que parece muito contraditório o sentir e o pensar, mas, todos os dias, nas pequenas coisas, percebo que esse choque entre a busca excessiva pela razão e os tropeços nos sentimentos acabam por nos provar que a gente até pode usar a lógica, mas somos guiados pelo que sentimos.

Esse pensamento me faz lembrar um grande nome da ciência. Albert Einstein declarou que “há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: a vontade. Um grande nome da razão, da lógica e sobretudo da ciência, compreendeu o que um sentimento é capaz de realizar.

A lógica leva à razão é fato, mas um momento, um sentimento e a vida acaba nos levando por caminhos onde o destino é o questionamento do que de fato seria a lógica. Porque nós somos capazes de trilhar por caminhos que temos a plena consciência racional que nos levarão à dor.

A lógica te fala para não seguir determinados passos, não tomar determinadas atitudes, mas o sentir te envolve e quando você percebe já foi. E a paixão certamente e logicamente nos levam a decisões equivocadas, de proporções grandiosas que podem nos fazer vivenciar os versos do poeta Caio Fernando de Abreu que citei ao iniciar esse texto.

Em uma vida de procuras entre o físico e o metafísico a gente acaba descobrindo que a lógica te guia, mas em qualquer esquina da vida você acaba tropeçando em si próprio e descobrindo que nas equações sem respostas objetivas é que reside a verdadeira razão e que o sentimento sempre triunfa sobre a razão.

Bel Dantas

Share This
%d blogueiros gostam disto: